Dia do Nordestino: além do ‘oxente’ e ‘eita’, conheça expressões dos nove estados da região

Nesta sexta-feira (8) é celebrado o Dia do Nordestino e, para comemorar a data, o g1/RN reuniu uma lista de regionalismos típicos de cada estado.

Para além do “oxente” e do “eita”, os nove estados do Nordeste têm uma infinidade de gírias e expressões típicas da região. Nesta sexta-feira (8) é celebrado o Dia do Nordestino e, para comemorar a data, o g1/RN reuniu uma lista de regionalismos típicos de cada estado.

No início do ano, Gil, Juliette e Lumena, três participantes nordestinos do Big Brother Brasil 2021, levaram para a rede nacional o jeito nordestino de falar.

Apesar de os três serem de Pernambuco, Paraíba e Bahia, respectivamente, estados geográfica e culturalmente próximos, foi possível perceber as inúmeras especificidades culturais de cada um.

“No Nordeste, há várias maneiras de se falar o português. Alagoanos e pernambucanos, por exemplo, tem um jeito próprio de colocar os artigos ‘o’ e ‘a’. Juliette, Gil e Lumena protagonizaram várias cenas em que é possível perceber o quanto, mesmo no Nordeste, falamos diferentes”, apontou o pesquisador da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Cleber Ataíde.

Um exemplo foi quando Gil, durante uma discussão com a funkeira Pocah, recorreu ao regionalismo para tirar satisfação. “Eu não vim do lixo para perder para basculho”, disse o pernambucano. A cantora, nascida no Rio de Janeiro, não entendeu a gíria e o caso viralizou nas redes.

A expressão é um regionalismo antigo, pouco conhecido pelos jovens, inclusive pelo próprio Gilberto. Basculho significa tudo aquilo que é mais desprezível que o lixo.

Juliette, por sua vez, foi criticada pelo sotaque carregado. A “mulinga”, expressão de espanto ou surpresa, foi inúmeras vezes utilizada pela advogada e maquiadora que venceu o programa. Já a psicóloga Lumena, além de recorrer a termos acadêmicos, introduziu os “brothers” ao “barril grandão”, para se referir a problemas.

Ataíde apontou que algumas palavras assumem diferentes significados em cada estado, como no caso da palavra “pirangueiro”.

“No Ceará, designa uma pessoa que se veste mal: ‘ele é o maior pirangueiro, só vive com aquele boné’. Em Pernambuco, significa muquirana, mão fechada, avarento: ‘cabra pirangueiro! Não me deu um centavo!’. Na Paraíba, a expressão é utilizada para se referir à pessoa desprezível que se aproveita dos outros”, explicou o pesquisador.

Confira expressões comuns em cada estado

Alagoas

  • Avalie: imagine, veja só;
  • Azogado: pessoa inquieta ou ansiosa;
  • Biboca: lugar distante ou esquisito;
  • Catenga: lagartixa;
  • Chimbra: bola de gude;
  • Lomba: algo engraçado;
  • Peidado: revoltado, indignado ou satisfeito.

Bahia

  • Barril ou barril dobrado: algo difícil, tenso ou que provavelmente vai dar errado;
  • Bater um baba: jogar uma pelada de futebol;
  • Boca de me dê: alguém que constantemente pede coisas;
  • Boca de zero nove: alguém eficiente, mas também pode significar algo ruim;
  • Ó paí: corruptela de “olha para isso”;
  • Parta a mil: ir depressa;
  • Queixar: convidar para um encontro amoroso.

Ceará

  • Bregueço: algo velho ou ultrapassado;
  • Canelau: alguém pobre ou ignorante;
  • Ceroto: sujeira;
  • Chei dos pau: alguém que está bêbado;
  • Gastura: azia ou mal estar, tanto físico quanto psicológico;
  • Magote: aglomeração de pessoas.

Maranhão

  • Brocado: com muita fome;
  • Égua: expressão dita em situação de surpresa ou espanto;
  • O raio: esperto, rápido, ágil;
  • Pior: verdade;
  • Piqueno/Piquena: menino ou menina;
  • Triscar: cutucar;
  • Vai pra caixa prego: “sai daqui” ou “vai para longe”.

Paraíba

  • Abilobado: alguém sem juízo;
  • Arribar: sair, ir embora;
  • Avoar: jogar fora, arremessar;
  • Chapéu de touro: alguém que mantém relacionamento com uma pessoa infiel;
  • Encarcar: fazer pressão;
  • Miolo de pote: coisa sem importância.

Piauí

  • Botar catinga: atrapalhar;
  • Budejar: falar muito;
  • Desdrobo: enganar alguém, levar na conversa;
  • Espancar a lôra: tomar cerveja;
  • Caxaprego: lugar distante;
  • Isturdia: corruptela de “estes dias”;
  • Moiado: feio;
  • Rebolar no mato: jogar fora.

Pernambuco

  • Abestalhado: abobado, ignorante;
  • Arretado: alguém bravo ou algo bom;
  • Buliçoso: alguém que mexe nas coisas sem permissão;
  • Fuleiro: de baixa qualidade ou não confiável;
  • Gabiru: rato grande;
  • Mangar: rir de alguém;
  • Pantim: criar caso, dificuldade;
  • Tabacudo: bobo.

Rio Grande do Norte

  • Bagana: ponta de cigarro ou charuto;
  • Balaio de gato: desordem, confusão ou encrenca;
  • Bexiga taboca: utilizada por alguém que está com muita raiva;
  • Eita píula: usada para demonstrar surpresa;
  • Galado: designa uma pessoa engraçada;
  • Gangueiro: alguém que participa de uma gangue ou que usa calças largas;

Sergipe

  • A migué: à toa, ao acaso;
  • A morte é cega: refere-se a alguém muito feio;
  • Fumbambento: sem cor, fraco, desbotado;
  • Pentcha: expressão de admiração;
  • Pungar: entrar num veículo em movimento;
  • Quem gaba o sapo é jia: refere-se a alguém que elogia pessoas próximas a si.

Fonte: G1/RN

sobre Ronaldo Glaydson

Check Also

Saúde pública do RN registra menor número de leitos de UTI para Covid desde maio de 2020

Dados são do Regula RN. Taxa de ocupação é de 48% na manhã desta segunda-feira …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *