Ômicron no RJ: média móvel de casos passa de 23 mil por dia, fila por leitos vai a 200 e 1,2 mil estão internados com Covid

Neste sábado, foram registrados novos 30 mil casos conhecidos, e 25 mortes – alta de 58% na média móvel. Taxa de ocupação de leitos Covid na capital chegou a 98%.

O estado do Rio registrou neste sábado (22) novos 30 mil casos conhecidos de Covid. Pela primeira vez na pandemia, a média móvel de casos passou dos 20 mil (23.336) – alta de 395% na comparação com duas semanas atrás.

Com 25 novas mortes, a média móvel foi a 14/dia, o que representa uma alta de 58%. É o crescimento mais alto desde abril do ano passado.

No total, 69.674 pessoas morreram de Covid no estado desde abril de 2020, e 1,6 milhão pegaram o vírus.

Mais de 200 pacientes à espera de leitos

Os dados de internações também preocupam. A fila por leitos tinha, até sexta (21), 203 pacientes: 63 à espera de UTI e 140, de enfermaria.

Mais de 1,2 mil pessoas estavam internadas, o maior número desde o pico da onda de casos provocado pela variante delta, no fim de agosto.

Na capital, ocupação de 98%

A taxa de ocupação dos leitos de Covid nos hospitais da rede SUS na cidade do Rio estava, até a tarde deste sábado, em 98%, segundo dados do Censo Covid, aos quais a TV Globo teve acesso.

Hospitais que foram referência no combate a pandemia continuam com leitos fechados. É o caso do Hospital Clementino Fraga Filho, que tem 60 leitos de UTI parados por falta de profissionais de saúde.

88% dos internados sem esquema vacinal completo

O secretário municipal de saúde, Daniel Soranz, ressaltou em entrevista ao RJ1 que a maioria dos pacientes que têm Covid nos hospitais está internado por outras doenças e também testou positivo para o coronavírus. Destes, 88% não tem o esquema vacinal completo.

A prefeitura também disse que pode abrir mais leitos na rede e que está cobrando do governo federal a abertura de leitos nos hospitais federais.

A superintedência estadual do Ministério da Saúde disse que o Hospital de Bonsucesso vai abrir leitos com a contratação de profissionais no primeiro semestre e que, hoje, há 216 internações por Covid na rede.

A direção do Hospital Federal Clementino Fraga Filho disse que o hospital está funcionando com 110 a menos por causa do fim da parceria com a Fiocruz, e que a unidade precisa contratar profissionais para reabrir os leitos, mas que não há previsão para isso.

Fonte: G1

sobre Ronaldo Glaydson

Check Also

Bolsonaro indica 18 nomes para direção de agências reguladoras

O presidente indicou nomes para cargos na Aneel, Anvisa, ANTT, ANS e ANP; os indicados ainda …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.