Suspeito de estupro é padrasto da menina. Mãe não vai ser responsabilizada, diz polícia.

 

 A criança de 11 anos que deu à luz um bebê no sábado (9), em João Pessoa, descobriu que estava grávida em maio, após passar mal. Segundo informou ao G1 nesta segunda-feira (11) a delegada da Infância e da Juventude de João Pessoa, Joana D’arc Sampaio, responsável pelo inquérito, a menina foi levada pela avó para um posto de saúde e, por meio de uma ultrassonografia, foi identificado que ela já estava no quinto mês de gestação.

 “Com isso, o Conselho Tutelar foi acionado e elas foram para a delegacia. Mas ele [o padrasto, único suspeito crime] já sabia que ela estava grávida, ele sabia o que tinha feito. No momento que tomou conhecimento do caso, fugiu”, explicou a delegada.

 A menina informou à polícia que a violência sexual era algo recorrente, mas não soube precisar quando teve início. De acordo com Joana D’arc, as investigações começaram em maio e o inquérito já foi concluído. O padrasto da menina segue foragido.

 Conforme as investigações, a mãe da menina não vai ser responsabilizada pelo crime. “Ela não teve participação, não sabia o que aconteceu, então não houve conivência. Ela só não teve cuidado”, comentou Joana.

 A criança de 11 anos ficou grávida após ser violentada e deu à luz um bebê no sábado (9) em uma maternidade de João Pessoa. A informação foi confirmada pelo juiz da Vara da Infância e Juventude da capital paraibana, Adhaílton Lacet Porto, em entrevista à CBN João Pessoa na manhã desta segunda-feira (11). Um processo contra o padrasto da menina, que é o suspeito do crime, segue em segredo de justiça.

 De acordo com o magistrado Adhaílton Lacet Porto, tanto o bebê, quanto a criança passam bem e a mãe deve receber alta na terça-feira (12). “Após dar à luz, ela ficou na UTI algum tempo, mas o quadro dela teve uma melhora e foi informado [a ele] que vai receber alta”, comentou o juiz.

 O processo foi iniciado a partir de uma denúncia feita no Conselho Tutelar da Região Sudeste de João Pessoa, no bairro do Geisel. A conselheira que registrou o caso, Isabela Santos, explicou que com o avanço das investigações, a criança foi encaminhada para uma casa de acolhimento em João Pessoa.

 O juiz responsável pelo caso comentou que a mãe da criança e companheira do suspeito de estuprar e engravidar a menina está sendo ouvida por uma equipe multidisciplinar que investiga o caso.

 Ainda de acordo com o magistrado, a menina já estava com cinco meses de gravidez quando o caso veio ao conhecimento das autoridades, mas o abuso aconteceu quando ela tinha 10 anos.

 

Fonte: G1/PB

Mais Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
PM prende quadrilha suspeita de assaltar postos de combustíveis na Grande Natal

PM prende quadrilha suspeita d…

 Prisão aconteceu na noite desta terça-fei...

Governo do RN confirma concurso para PM; Fórum de Segurança discorda da quantidade de vagas e nível exigido

Governo do RN confirma concurs…

 Edital deve ser publicado até o final de ...

Operação de combate ao tráfico de drogas faz prisões na Grande Natal

Operação de combate ao tráfico…

 Esta é a 6ª fase da operação Arecê.

Após Fachin negar pedido de Temer, defesa quer que plenário do STF analise devolução da nova denúncia

Após Fachin negar pedido de Te…

 Nesta terça (19), relator da Lava Jato ne...

Resgate do Desfile Cívico movimentou a comunidade de Juriti na última quinta-feira (14/Set).

Resgate do Desfile Cívico movi…

 Há anos esquecido, o evento contou com as...

Marinha alerta para ondas de até 3 metros e ressaca no litoral do RN

Marinha alerta para ondas de a…

 Atenção deve ser redobrada neste final de...

Agente penitenciário reage a tentativa de assalto e é baleado

Agente penitenciário reage a t…

 Arma do agente falhou durante a reação.

Contador é morto com tiro no rosto durante assalto a residência

Contador é morto com tiro no r…

 Vizinho foi ver o que estava acontecendo ...

Adolescente grávida é agredida por namorado de 21 anos

Adolescente grávida é agredida…

 Polícia investiga também denúncia de que ...

Hot topics

Follow us