Congresso conclui votação da LDO e derruba proibição a reajuste para servidores em 2019

 Proibição estava prevista no texto-base da Lei de Diretrizes Orçamentárias do ano que vem, aprovado nesta quarta (11).

 

 O Congresso Nacional concluiu na madrugada desta quinta-feira (12) a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 e derrubou a proibição a reajustes para a servidores públicos no ano que vem.

 Com a aprovação, o texto seguirá para sanção do presidente Michel Temer. A proibição aos reajustes estava prevista no texto-base da LDO, aprovado na noite desta quarta (11).

 O texto-base ainda previa a proibição à criação de cargos públicos. O Congresso também derrubou a regra.

 A Lei de Diretrizes Orçamentárias é a base utilizada pelo governo para elaborar a proposta de Orçamento da União para 2019, que será enviada ao Congresso até o fim de agosto.

 De acordo com a Constituição, com a aprovação da LDO, o Congresso pode iniciar recesso parlamentar, a partir do dia 18 até 31 de julho. Deputados e senadores devem voltar ao trabalho no dia 1º de agosto.

Custeio

 Durante as negociações desta quarta, o relator cedeu e fez mudanças no parecer: reduziu o tamanho no corte das despesas de custeio administrativo, de 10% para 5%.

 Mesmo assim, durante a madrugada, os parlamentares mudaram este ponto, retirando qualquer percentual de redução nos gastos.

Outros pontos do projeto

Saiba abaixo outros pontos da LDO aprovada pelo Congresso:

Benefícios tributários: Impede o governo de conceder novos incentivos ou benefícios tributários, mas permite a prorrogação dos já existentes por prazo máximo de cinco anos, desde que "o montante do incentivo ou benefício prorrogado seja reduzido em pelo menos dez por cento ao ano e que o respectivo ato seja acompanhado dos objetivos, metas e indicadores relativos à política pública fomentada".

 Verbas parlamentares: Proíbe reajustes nas verbas destinadas aos gabinetes dos parlamentares e nos recursos usados no exercício do mandato.

 'Regra de ouro': Por esse mecanismo, a Constituição impede operações de crédito (endividamento público) em montante superior ao total de despesas de capital (como investimentos).

 Há uma exceção a essa regra no próprio texto constitucional: a autorização por meio de crédito suplementar ou especial, aprovado pelo Congresso Nacional.

 O relator manteve um dispositivo previsto no texto da LDO enviado pelo Poder Executivo, que prevê despesas condicionadas à aprovação desse crédito. Em nota conjunta sobre a LDO, as consultorias de Orçamento da Câmara e do Senado consideram inconstitucional condicionar despesas à aprovação deste crédito.

 Para os especialistas, na prática, a proposta daria ao projeto do Orçamento da União uma autorização prévia para se beneficiar de uma exceção à regra de ouro, o que poderia gerar questionamentos no Supremo Tribunal Federal.

Debate

 O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) se posicionou contra a proibição a reajustes para servidores. Para o parlamentar, a vedação significaria uma "volta ao passado".

 "Retorno aos piores momentos dos anos 1990. Estabelece um congelamento até para a reposição das perdas salariais, congela a realização de concurso público para o próximo ano. É decretação de morte e sucateamento total do serviço público".

 O deputado Claudio Cajado (PP-BA), por sua vez, afirmou que, embora o texto tivesse sido "muito criticado", o Congresso não pode ser "irresponsável" e "tapar os olhos" para a realidade das contas públicas do país.

 "Está-se criticando muito a proposta, mas nós temos que defendê-la. O relator foi extremamente responsável no seu relatório, fez um relatório verdadeiro, fático, de acordo com a realidade que o Brasil atravessa", afirmou.

 "Nós não podemos ser irresponsáveis de tapar os olhos e não enfrentar a dureza que a realidade impõe, que é um déficit crescente, ano após ano".

Fonte: G1

Mais Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
Câmara do Rio discute impeachment de Crivella nesta quinta-feira

Câmara do Rio discute impeachm…

 Sessão extraordinária suspende recesso pa...

Congresso conclui votação da LDO e derruba proibição a reajuste para servidores em 2019

Congresso conclui votação da L…

 Proibição estava prevista no texto-base d...

Bandidos explodem banco, incendeiam três carros e bloqueiam acessos a Macaíba, na Grande Natal

Bandidos explodem banco, incen…

 Crime aconteceu na madrugada desta quinta...

Gato ajuda a encontrar recém-nascida deixada ao lado de bueiro em Nossa Senhora da Apresentação

Gato ajuda a encontrar recém-n…

 A criança estava dentro de sacos plástico...

Jovem é assassinada no dia do próprio aniversário na zona Oeste

Jovem é assassinada no dia do …

 Josana Kelly ainda foi perseguida antes d...

TCE determina exoneração de 1.124 cargos comissionados da Assembleia Legislativa do RN

TCE determina exoneração de 1.…

 Outras 19 medidas foram aprovadas pela Co...

TJ bloqueia R$ 4,9 milhões da Prefeitura de Natal para pagamento de precatórios

TJ bloqueia R$ 4,9 milhões da …

 Valores devem ser transferidos para a con...

Caso Vitória: Polícia Civil diz que menina foi morta por engano por dívida de R$ 7 mil

Caso Vitória: Polícia Civil di…

 Homem afirmou que devia dinheiro para um ...

Só jogão! Quartas terão Neymar x Hazard, Suárez x Mbappé... Saiba dias e horários

Só jogão! Quartas terão Neymar…

 Duelo Uruguai x França abre antepenúltima...

Hot topics

Follow us