'Estamos à beira de um colapso no abastecimento de gás de cozinha no RN', diz Singás

 Segundo presidente do sindicato das empresas revendedoras, todos os municípios potiguares enfrentam desabastecimento.

 

 O Rio Grande do Norte pode sofrer um colapso no abastecimento de gás de cozinha, de acordo com o presidente do sindicato das empresas revendedoras do setor, Francisco Correia. Segundo ele, atualmente todos os 167 municípios potiguares convivem com a falta do gás. “Estamos à beira de um colapso”, reforça.

 Correia afirma que a quantidade que atualmente chega ao estado potiguar só consegue abastecer à metade da demanda. “Para se ter uma ideia, antes nós mandávamos mil botijões para a cidade de Canguaretama por semana. Agora nós mandamos 100”, revela o presidente do Singás.

 Francisco Correia diz que a Petrobras produz hoje na Refinaria Clara Camarão, em Guamaré, 50% do gás de cozinha demandado pelo Rio Grande do Norte. Os outros 50% são divididos entre o Ceará e Pernambuco. “Mas os navios que levam o gás a Fortaleza estão atrasando, e eles pararam de nos mandar. Em Pernambuco, o Ministério Público entrou com uma ação com relação ao desabastecimento deles, e o estado pernambucano também não está mais enviando o gás para o RN”, explica.

 Através de nota, a Petrobras alegou que as vendas de gás de cozinha estão acima do volume contratado com as distribuidoras para o mês de junho. “Além disso, frisamos que os estoques da Petrobras desse produto no país se encontram em níveis confortáveis”, diz a nota.

 A empresa afirmou também que a sua produção do gás no estado é “historicamente inferior” às vendas das distribuidoras no RN, conforme consumo aparente publicado pela Agência Nacional de Petróleo. Assim, a Petrobras confirmou que, regularmente, parte do gás de cozinha vendido para a população potiguar é oriundo de instalações da Petrobras fora do Rio Grande do Norte.

 Os proprietários de distribuidoras afirmam que farão uma movimentação nesta terça-feira (19), para procurar apoio do Ministério Público Federal (MPF) e também do Governo do Estado. A ideia é tentar fazer com que a Petrobras amplie a produção em terras potiguares. Segundo o Singás, a produção começou a diminuir nos últimos quatro anos, até atingir os atuais 50%.

 

Fonte: G1/RN

Mais Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
Câmara do Rio discute impeachment de Crivella nesta quinta-feira

Câmara do Rio discute impeachm…

 Sessão extraordinária suspende recesso pa...

Congresso conclui votação da LDO e derruba proibição a reajuste para servidores em 2019

Congresso conclui votação da L…

 Proibição estava prevista no texto-base d...

Bandidos explodem banco, incendeiam três carros e bloqueiam acessos a Macaíba, na Grande Natal

Bandidos explodem banco, incen…

 Crime aconteceu na madrugada desta quinta...

Gato ajuda a encontrar recém-nascida deixada ao lado de bueiro em Nossa Senhora da Apresentação

Gato ajuda a encontrar recém-n…

 A criança estava dentro de sacos plástico...

Jovem é assassinada no dia do próprio aniversário na zona Oeste

Jovem é assassinada no dia do …

 Josana Kelly ainda foi perseguida antes d...

TCE determina exoneração de 1.124 cargos comissionados da Assembleia Legislativa do RN

TCE determina exoneração de 1.…

 Outras 19 medidas foram aprovadas pela Co...

TJ bloqueia R$ 4,9 milhões da Prefeitura de Natal para pagamento de precatórios

TJ bloqueia R$ 4,9 milhões da …

 Valores devem ser transferidos para a con...

Caso Vitória: Polícia Civil diz que menina foi morta por engano por dívida de R$ 7 mil

Caso Vitória: Polícia Civil di…

 Homem afirmou que devia dinheiro para um ...

Só jogão! Quartas terão Neymar x Hazard, Suárez x Mbappé... Saiba dias e horários

Só jogão! Quartas terão Neymar…

 Duelo Uruguai x França abre antepenúltima...

Hot topics

Follow us