STJ nega pedido de liminar em habeas corpus de ex-ministro Henrique Alves

 Decisão foi monocrática do ministro Rogerio Schietti Cruz. 

 

 O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido de liminar em habeas corpus impetrado pela defesa do ex-deputado e ex-ministro Henrique Eduardo Alves. Ele está preso em Natal preventivamente desde o dia 6 de junho por força de dois mandados de prisão: um da operaçãoManus e outro da operação Sépsis.

 O pedido de habeas corpus é referente à operação Sépsis, cujo processo que corre na 10ª Vara Criminal Federal do Distrito Federal. O mérito do pedido será julgado pela Sexta Turma, sob relatoria do próprio ministro Schietti.

 A operação Sépsis investiga esquema de pagamento de propina para liberação de recursos do Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS), administrado pela Caixa Econômica Federal. Já a operação Manus investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas.

 Na operação Sépsis, Henrique Eduardo Alves é acusado de auferir valores ilícitos de empresas que receberam aportes milionários do FI-FGTS e de ter remetido esse dinheiro ilegal para contas no exterior. A decisão foi dada monocraticamente pelo ministro Rogerio Schietti Cruz.

 Em primeiro grau, o juiz decidiu pela prisão do acusado para evitar que ele pudesse movimentar, pessoalmente ou por meio de laranjas, as contas bancárias no exterior que ainda não foram identificadas, impedindo a possibilidade de bloqueio do dinheiro recebido ilicitamente.

 O Tribunal Regional Federal da 1ª Região manteve a decisão da primeira instância, ratificando o entendimento de que, se posto em liberdade, Henrique Eduardo Alves poderia trabalhar pela ocultação de ativos provenientes de atos criminosos.

 A defesa alegou que todas as contas existentes em nome do réu já foram bloqueadas e estão sendo investigadas também pelas autoridades suíças, o que tornaria impossível a reiteração delitiva.

Fundamentação

 Segundo Rogerio Schietti, a decisão de primeira instância mostrou, concretamente, os motivos que justificaram a necessidade de privação de liberdade: impedir a movimentação das contas no exterior que recebiam os depósitos ilícitos e garantir a ordem econômica. Além disso, também foi mencionada a periculosidade do réu, que responde a vários processos envolvendo graves delitos e grandes somas de dinheiro.

 O ministro disse que os argumentos apresentados pelo juiz federal afastam as alegações da defesa: “A leitura desses excertos da decisão objurgada permite concluir pela existência de fundamentação idônea a legitimar o decreto preventivo, a afastar, neste preliminar exame, a plausibilidade jurídica do direito tido como violado.”

 Ao indeferir o pedido de liminar, Schietti afirmou que a análise dos autos não permite vislumbrar constrangimento ilegal a ser sanado com medida de urgência.

 O ministro solicitou mais informações à Justiça Federal sobre os fatos alegados na petição inicial do habeas corpus, além da manifestação do Ministério Público Federal. O mérito do pedido será julgado pela Sexta Turma, sob relatoria do próprio ministro Schietti.

 

Fonte: G1/RN

Mais Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
PM prende quadrilha suspeita de assaltar postos de combustíveis na Grande Natal

PM prende quadrilha suspeita d…

 Prisão aconteceu na noite desta terça-fei...

Governo do RN confirma concurso para PM; Fórum de Segurança discorda da quantidade de vagas e nível exigido

Governo do RN confirma concurs…

 Edital deve ser publicado até o final de ...

Operação de combate ao tráfico de drogas faz prisões na Grande Natal

Operação de combate ao tráfico…

 Esta é a 6ª fase da operação Arecê.

Após Fachin negar pedido de Temer, defesa quer que plenário do STF analise devolução da nova denúncia

Após Fachin negar pedido de Te…

 Nesta terça (19), relator da Lava Jato ne...

Resgate do Desfile Cívico movimentou a comunidade de Juriti na última quinta-feira (14/Set).

Resgate do Desfile Cívico movi…

 Há anos esquecido, o evento contou com as...

Marinha alerta para ondas de até 3 metros e ressaca no litoral do RN

Marinha alerta para ondas de a…

 Atenção deve ser redobrada neste final de...

Agente penitenciário reage a tentativa de assalto e é baleado

Agente penitenciário reage a t…

 Arma do agente falhou durante a reação.

Contador é morto com tiro no rosto durante assalto a residência

Contador é morto com tiro no r…

 Vizinho foi ver o que estava acontecendo ...

Adolescente grávida é agredida por namorado de 21 anos

Adolescente grávida é agredida…

 Polícia investiga também denúncia de que ...

Hot topics

Follow us